Chave de seta x chave de coluna: você conhece as diferenças?

chave de coluna

A chave de seta, a limpadora e a de coluna são algumas das peças mais importantes do carro. Isso porque agregam diversas funções e mecanismos essenciais para uma direção segura. Ao contrário do que muita gente pensa, elas não exercem a mesma função e são bem diferentes entre si.

O termo “chave de seta” ficou tão popular que quem é desse mercado já sabe que não dá para confiar 100% quando um cliente pede uma dessas, pois pode ser outra peça. A vida fica muito mais fácil quando quem precisa já tem o código da peça original para pesquisar.

A KOSTAL, que é especialista na produção desse tipo de componente, preparou um texto completo para explicar exatamente as diferenças entre essas chaves. Além disso, também vai conhecer um pouco a história desses componentes. Fique ligado para entender tudo!

Chave de seta x chave de coluna: sabendo mais sobre elas

Quando pensamos no painel de um carro, sabemos que ali existem elementos essenciais para o funcionamento dele e a condução. Ou seja, quando falamos de segurança e de direção protegida, muitas vezes é no painel que estão algumas das peças mais importantes para que isso seja possível.

Aí, entram as chaves de coluna, de seta e limpadora. Presentes em todos os carros, elas foram mudando ao longo do tempo e continuam variando conforme o modelo.

Por exemplo, a KOSTAL já produziu os 3 componentes para carros como Uno, Palio, Gol, KA, Celta e tantos outros. Inclusive, como especialista na produção de peças automotivas, sabemos da importância desses itens e como eles estão presentes no dia a dia das autopeças.

Só que ainda existem alguns mitos sobre elas. Um dos principais é a dúvida sobre as funções de cada: elas são iguais e fazem a mesma coisa?

A resposta é não. Embora possam ser confundidas por terem formatos parecidos e estarem no mesmo local, existem diferenças importantes entre elas, que você vai conhecer a seguir.

+ Leia mais:

Como reabrir sua autopeças com segurança? Veja algumas dicas

Item original de fábrica: como funciona o desenvolvimento dessas peças?

Diferenças entre as peças

Apesar de muitas similaridades, a chave de seta, a limpadora e a de coluna são bem divergentes. Veja só:

Chave de seta

Como o próprio nome diz, através dela é possível dar seta para indicar conversões. Ao longo do tempo novas funcionalidades foram adicionadas, como a possibilidade de ativar as lanternas quando necessário, acionar o farol baixo e selecionar o farol alto durante um momento especial etc. Em alguns modelos, o acionamento da buzina também está nessa peça.

Por fim, ela é a peça responsável pelas funções de sinalização, iluminação e advertência do carro. Por isso, é um componente elétrico de extrema importância e considerada um dos equipamentos obrigatórios de segurança.

Podemos dizer que este é um dos itens mais usados pelos motoristas durante a condução e essencial para uma direção segura, mas que poderia ser muito mais utilizada. Quem nunca foi surpreendido por uma manobra repentina de outro condutor ou já não cometeu essa falha?

Em modelos mais modernos e top de linha, ela também inclui funções para navegação no computador de bordo.

Chave limpadora

Precisamos reforçar a importância dessa peça? Pense naquelas noites nubladas e com garoa nas quais precisou sair dirigindo. Sem a chave limpadora e os mecanismos conectados a ela, seria praticamente impossível se locomover.

A evolução dos carros e da tecnologia permitiu que, além de apenas ligar os limpadores de para-brisa, seja possível personalizar esse comando. Por exemplo, você pode alternar entre limpador traseiro e dianteiro, ativar o esguicho de água para facilitar a limpeza e escolher os intervalos de tempo e a velocidade.

Da mesma forma, em alguns modelos, também foi adicionada a opção de se navegar pelo computador de bordo.

Assim como a chave de seta, ela é considerada um dos equipamentos obrigatórios e de segurança.

Chave de coluna

Com a evolução dos componentes elétricos e seu uso cada vez mais frequente, surgiu a chave de coluna.

Ela é um conjunto modular que agrega todas as funções que não estão presentes em outras chaves. Por exemplo, limpadores de parabrisa, buzina, interruptores de emergência e clock spring, mais conhecido como cinta de airbag. Além de tudo isso, é claro, a seta, os faróis, os comandos do computador de bordo.

Já as versões que equipam os modelos mais completos, são eletrônicas e microcontroladas. Dessa forma, reduz a quantidade de cabos e conectores necessários para comunicar ao módulo de controle do carro, as diversas funcionalidades que trazem ainda mais segurança e conforto para os motoristas.

O que esses itens têm em comum?

Embora sejam diferentes, principalmente quando falamos de funções, as chaves de seta e de coluna têm algo em comum e bem importante: ambas são essenciais para a segurança no trânsito.

A chave de seta é imprescindível para a segurança dos motoristas e dos pedestres. Isso porque permite sinalizar mudanças de faixa e conversões com antecedência.

Por outro lado, a de coluna, como inclui outros itens de segurança, é ainda mais importante. Citando, limpadores são essenciais para trafegar durante a chuva. Já buzinas, em casos de emergência, são essenciais para se comunicar com outros motoristas e pedestres. E sobre as versões com clock spring, nem precisamos falar, não é mesmo?

Curiosidade

Por que as chaves de seta sempre ficam do lado esquerdo e a limpadora do lado direito?

Para quem leu até aqui, é hora de conhecer um pouco mais. A KOSTAL conversou com um de seus maiores especialistas no desenvolvimento dessa família de produtos, Team Leader de R&D de componentes mecatrônicos da marca no Brasil. Veja o que diz Renato Kielblock Ferreira, projetista industrial e MBA em administração de empresas, que reúne mais de 35 anos de experiência no setor automotivo e é um entusiasta.

Desde a época em que os carros utilizavam assento dianteiro inteiriço, a alavanca da marcha poderia estar posicionada na coluna de direção, no assoalho ou no painel do carro. No mercado norte-americano, até hoje um dos criadores de tendências, a versão mais utilizada era na coluna de direção, acessível pela mão direita do condutor. Por isso, ao surgir a primeira versão de seta, ela foi parar do lado esquerdo.

Um pouco de história

A invenção da seta é atribuída à atriz canadense Florence Lawrence, em 1914. Na época, ela não era nada parecida com [a dos] sistemas atuais. Você acionava um botão elétrico e uma “bandeirinha” de sinalização era projetada na lateral do carro. A primeira versão do Fusca Alemão que chegou no Brasil também era assim. Seu sistema de seta é carinhosamente chamada de “bananinha” e ainda é possível encontrar alguns bem conservados por aí.

Na Europa, em países onde o volante fica do lado direito, a chave de seta está do lado esquerdo. Já na Ásia, além da inversão do lado do volante, a chave de seta também fica do lado direito.

Mesmo com a evolução do câmbio para automático e seus similares mais modernos, ainda há quem aprecie a troca de marchas, preferindo modelos que também ofereçam a experiência por uma alavanca na coluna de direção, como faz a Mercedes-Benz desde 2005 nas Classes M e S. Em 2008, foi a vez da SL Roadster.

Ninguém entende de chave de seta e chave de coluna como a KOSTAL

Esperamos que tenha entendido tudo sobre as diferenças entre essas peças automotivas.

Conhecer a fundo cada componente e suas nomenclaturas é essencial para o serviço que sua autopeças presta. Conte sempre com a KOSTAL para tirar todas as suas dúvidas!

Se quiser saber onde comprar nossos produtos, clique aqui para encontrar o distribuidor mais próximo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*